Privacidade do cliente x marketing digital: como manter os dois?

Nessa nova economia que vivemos, os dados são o novo petróleo. Eles ajudam empresas a crescerem e lucrarem mais, permitindo uma análise mais inteligente dos processos de negócio. Os dados dizem quais produtos ou serviços estão performando melhor, quais as preferências dos clientes e como eles interagem com as campanhas de comunicação da empresa.

Hoje em dia, o marketing digital funciona baseado em dados. Eles são os nomes, endereços de e-mail, telefones, hábitos de compra, comportamentos dentro de um site… Os dados são o combustível para que se possa fazer ofertas melhores, mais segmentadas e com base nos interesses do lead, ou seja, aquela pessoa que conhece a marca, mas ainda não fez uma compra.

O que muda com a Lei Geral de Proteção de Dados

A LGPD vai entrar em vigor em agosto de 2020 e vai exigir que as empresas tenham maneiras de proteger os dados pessoais de seus clientes e leads. A primeira coisa que deve ser analisada nesse sentido é o site da empresa, pois ele coleta dados de visitantes por meio do uso de cookies.

É a partir deles que pode ser feita a análise do comportamento dos visitantes e as ações de remarketing, que exibem nas redes sociais os produtos que eles já visualizaram. No conceito “privacy by default”, a não coleta de cookies é o padrão, sendo necessário que cada usuário dê o consentimento para o registro de seus dados. Nessa primeira etapa, para descobrir se seu site está dentro do padrão, é preciso fazer um diagnóstico.

Um diagnóstico de sites que visa a proteção de dados irá identificar os cookies que coletam informações pessoais, a presença de um banner de consentimento para o uso deles, os links para as políticas de privacidade, os formulários, entre outros aspectos.

Outra coisa importante é o e-mail marketing. O cliente, por exemplo, não deve receber newsletters e ofertas se não deixar explícito o seu consentimento. Se por acaso o usuário receber um destes e-mails sem dar o consentimento e fizer uma reclamação à Autoridade Nacional de Proteção de Dados, quem deverá provar que a pessoa manifestou interesse em receber e-mails é a empresa. Por isso, a compra de listas prontas de contatos é uma prática vedada com a vigência da nova lei. 

Dicas para profissionais de marketing saírem na frente

O primeiro passo para todo profissional de marketing que deseja se destacar no próximo ano é conhecer melhor a Lei Geral de Proteção de Dados. Isso irá guiar as novas relações entre empresas e usuários na internet. 

É preciso criar os projetos de comunicação já tendo a privacidade como um padrão. Isso significa coletar só os dados necessários, pedir o consentimento para essa coleta e proteger essas informações o máximo possível contra vazamentos.

Existem diversos artigos na internet e até mesmo cursos online voltados para quem quer se preparar para LGPD. Esse conhecimento é essencial para ter sucesso no marketing digital a partir de 2020, quando entraremos na era da privacidade, em que as pessoas saberão o valor que têm as suas informações pessoais.

Conteúdo escrito por Privacy Tools

www.privacytools.com.br 

Informações adicionais